Vamos falar sobre 2 atitudes que mudam uma empresa, mas antes deixa eu te trazer pra uma realidade que vivemos no Brasil.

Sabemos que muitas empresas são criadas e fechadas antes dos primeiros 2 anos de vida. Além disso, segundo os dados do IBGE, mais de 50% fecham as portas antes dos 2 anos.

Um dado antigo, mas interessante, mostra que apenas 38% das empresas que abriram em 2011 sobreviveram até 2016. Claro que podem ser considerados, nesse ponto vários aspectos econômicos e de falta de preparação, no entanto não é só isso.

Em muitas organizações – pequenas e grandes – faltam essas 2 atitudes que mudam uma empresa. Se existissem, mudariam para melhor, fazendo-as desconhecerem esses dados do IBGE. Mas, as que não possuem essas duas atitudes, certamente contribuem muito com essa triste realidade, as quais são comprovadas pelas pesquisas a cada ano.

1 em cada 4 empresas, fecha.

Dados mais recentes indicam que 1 em cada 4 empresas fecha antes de completar 2 anos. Isso, conforme dados do Sebrae, relativo ao Brasil, de acordo com o relatório publicado em agosto de 2018 pela revista Exame. Já em 2019 esses números tendem a melhorar conforme a expectativa de retomada da nossa economia.

Mesmo lento, o PIB teve um leve aumento no segundo trimestre de 2019, de 0,4% e previsão de 0,9% para o ano. Mas isso está longe de ser uma ótima notícia. O fato é que precisamos fazer o que está ao nosso alcance, e sobre o qual temos domínio.

“Tá Rotiery, mas só está falando de pequena e média empresa, e as grandes? Eu já passei dessa fase!”

Não ignore o óbvio!

Calma, estou trazendo uma realidade do nosso mercado, para que todos entendam na prática que existe um equilíbrio ao abrir uma empresa. Ou seja, você deve ter velocidade para implementar uma ideia e consciência para saber que empreender no Brasil é possível e difícil ao mesmo tempo. Infelizmente, serão poucos os que, além de criarem um negócio, vão conseguir mantê-lo de pé. É uma coisa óbvia, mas que poucos entendem e praticam.

“O grande problema é esse: a gente ignora o óbvio e quebra a cara.”

Rotiery

Bom, falei que existem 2 atitudes que fazem uma empresa melhorar, ou seja, abrir, amadurecer, crescer e se manter no mercado, em tempos de crise ou bonança. Agora, quais são essas tais atitudes?

Pela minha experiência e por conviver dentro de empresas de pequeno e médio porte – algumas totalmente familiares – 2 atitudes são nitidamente responsáveis por fazerem as empresas terem ou não consistência em seu crescimento: Coragem e Capacidade de mudança.

É claro que existem muitas outras que complementam essas duas, mas estas são a base para que tudo se encaixe e progrida.

As 2 atitudes que mudam uma empresa:

1ª Coragem.

Empresas que tem em seu DNA a coragem são as que mais prosperam e não se abalam, mesmo em situações de extrema dificuldade. Grandes varejistas, que hoje estão dominando seus mercados, certamente possuem essa atitude enraizada em sua essência. E lembre-se, toda empresa grande, um dia já foi pequena e, por isso entender essas atitudes e implementá-las no começo é tão importante.

Tudo começa pelo dono, o fundador. Mas lembra da porcentagem de empresas que fecham antes dos 5 anos? Pois é, será preciso coragem para ultrapassar essa estatística.

É importante lembrar da existência dos empresários “chorões”. Ou seja , aqueles que reagem sempre negativamente mais ou menos assim:

“Não sei se vai dar certo, não tem gente para trabalhar, só problema e ninguém me ajuda. Já estou entregando os pontos acho que não tem mais jeito.”

Esses normalmente só atraem gente igual a ele. Basta entrar na loja e ver seus colaboradores e líderes com a mesma cara de “bunda” ao atender um cliente e reclamando de tudo. Mas o pior é ver que o empresário não percebe que ele mesmo está atraindo esse tipo de gente.

Não acredita? Faz um teste.

Provavelmente você tem algum amigo ou familiar que não gosta muito de trabalhar e reclama da vida. Acertei? Então faz o seguinte:

Primeiro convida ele para abrir um negócio e diz que ele vai ganhar muito dinheiro. Em segundo lugar observa a reação dele. Certamente ele vai te perguntar quanto tempo isso vai demorar, ou seja, se vai precisar trabalhar muito. Afinal ele quer mandar e se tornar “empresário”.

Por outro lado, empreendedores que são corajosos, atraem pessoas do seu mesmo “DNA”. Não tem como um medroso e acomodado ficar muito tempo do lado de um corajoso. Ou ele vai mudar ou vai sair.

É como água e óleo, não se misturam.

Agora você pode repetir o teste anterior que eu propus com um amigo corajoso. Mas faça a mesma pergunta e observe a resposta. Se você souber vender a ideia, ele certamente vai querer entender mais e descobrir como vai agregar e ajudar a fazer o negócio deslanchar.

Inclusive, haverá momentos em que apenas os corajosos terão possibilidade e capacidade de seguir. Existem momentos em que você precisa tomar uma decisão que vai impactar muito sua empresa, principalmente em casos de expansão, de crescimento, que requer investimento e coragem de arriscar.

A adrenalina vem, a análise precisa ser rápida e a atitude imediata. Ou você é corajoso ou não é. E se não é, precisa se tornar logo.

Essa é uma das 2 atitudes que mudam uma empresa, para melhor. Vamos ver a outra que é complementar, mas não pode ser excluída.

2ª Capacidade de mudança.

Acredito que essa atitude é essencial no mundo atual que vivemos. Mas se começarmos a querer saber tudo o que acontece no mundo, ficamos loucos e perdidos. Basta olhar o nível de pessoas com depressão, por exemplo que dizem estar sentindo um “vazio” no peito. Precisamos ter equilíbrio.

E falta de foco no mundo de hoje enlouquece qualquer um. Acima de tudo você precisa entender muito bem do seu mercado, e saber o essencial, que complemente o seu conhecimento e sua expertise.

“Não tem como saber tudo, mas tem como aplicar tudo que você sabe.”

Rotiery Martins

Confie e use a tecnologia.

Ainda vejo muitas empresas resistentes à tecnologia, ou seja, não aceitando a essa nova abordagem de venda, onde não se vende mais produtos e sim soluções. Os clientes não querem mais seu produto ou serviço, eles querem a solução dos problemas que você ou seu produto resolvem. Caia na real.

Não adianta você criar um negócio achando que vai dar certo, você precisa criar um negócio que atenda exatamente uma demanda dos futuros clientes, ou seja, o que eles precisam. Essa é a diferença. Além disso, você precisa entender que todos os dias você terá que adaptar a forma em que trabalha para se encaixar ao mercado.

Quem dita as regras é o cliente, e não mais você.

Desenvolva sua capacidade de mudança, tenha coragem.

“Rotiery, falou sobre as 2 atitudes que mudam uma empresa, mas como eu faço isso?”

Como sempre falo, não existe mágica na vida e muito menos para criar uma empresa. É trabalho duro, mas isso espero que já tenha entendido. Eu mesmo aprendi rapidinho quando chegaram os primeiros boletos do meu sócio – o governo .

Veja só, o que citei nesse artigo foram as 2 atitudes que mudam uma empresa realmente. Além disso, eu aplico isso em mim e no meu negócio todos os dias. Em 2016, precisei ter uma coragem enorme para pedir as contas da empresa onde trabalhava e abrir meu negócio. Pensei que ia ter um resultado e tive outro, menor. Levei 6 meses para conseguir meu primeiro faturamento, ou seja, não foi fácil como todo começo.

Adaptação rápida.

Planejei o que eu imaginava, mas os clientes me mostraram que não queriam aquilo. Depois disso, tive que me adaptar ao mercado – capacidade de mudança. No entanto, ainda preciso trabalhar essas atitudes e comportamentos todos os dias. É exatamente como ir à academia, a cada dia é uma dor diferente e um músculo que fica mais forte.

O que posso garantir é que aplicando isso todos os dias – na sua vida e na sua empresa, você criará um negócio com uma CULTURA de cooperação e atitude. Mas vai precisar deixar de lado seu ego e passar a ser mais “ouvinte” do que “falante”, Afinal coragem e capacidade de mudança geram desafio, que gera entusiasmo e consequentemente cooperação.

Não existe almoço de graça, mas se desenvolver o músculo da coragem, possuir uma capacidade de mudança e adaptação, você vai escolher o que vai comer, e ainda alimentar muitas pessoas!

Coragem é para poucos, mas quem tem vai longe.

Rotiery Martins.

Sobre o Autor:

Rotiery Martins e especialista em gestão de equipes, técnicas de liderança e criação de processos que facilitem e melhorem a performance das pessoas e empresas. Atua há mais de 13 anos na área de varejo, onde passou por quase todas as áreas de um supermercado.

Fundador da empresa RM Qualificação e Treinamento para o varejo, que atua no ramo de treinamentos presenciais e on-line para o ramo varejista.

Divulga Dicas e Sacadas gratuitas nas suas redes sociais semanalmente. 

Trabalha como mentor para empresários e gestores do varejo através da empresa SOS Varejo, com foco na área de liderança, criação e gestão de processos para lojas do varejo.

Idealizador e fundador do projeto AMO VAREJO que incentiva profissionais a ingressarem no ramo supermercadista e varejista, atualmente é a MAIOR plataforma de recrutamento exclusiva para varejistas do Brasil.

Promove palestras e Workshops compartilhando seu conhecimento com colaboradores e empresários do ramo varejista.

Conecte-se comigo aqui nas outras redes sociais, vai ser muito bem-vindo:👇

FACEBOOK

INSTAGRAM – ROTIERY MARTINS

INSTAGRAM CLUBE DO SUPER

TWITTER

YOUTUBE 

📱051 9300-0592 WHATSAPP

📱 TELEGRAM

📨 contato@rotierymatins.com.br

📩 Skype: @rotieryrp